Moradores de Guriri convivem com animais soltos as ruas

SÃO MATEUS – Se não bastasse os alagamentos em épocas de chuva que deixam o balneário embaixo d’água e a proliferação do mosquito transmissor da dengue e outras doenças como Zica e Chicungunha, quem mora em Guriri está enfrentando o transtorno de conviver com animais soltos.

Pior, não apenas nos quintais e nas ruas, há registros de animais que tentarem entrar em residências, como denunciou uma moradora que pediu para não ser identificada. “Por onde eles passam fica a bagunça. Isso porque reviram o lixo, espalhando-o pela rua. A grama do jardim das casas vira comida e o terreno baldio mais um pasto. Se der bobeira, os animais entram nas casas. Os cavalos andam por todas as ruas de Guriri, deixando os moradores com medo e revoltados com a bagunça”, observou.

Como o município não possui Centro de Zoonoses, que seria o encarregado de recolher os amimais das ruas, a população aguarda atitude do governo municipal e o bom senso de proprietários de cavalos. Aliás, o problema se repete nos bairros próximos ao centro da cidade e na região de Santo Antônio e Ayrton Sena. A explicação da administração, através da Secretaria Municipal de Comunicação, é que o município não se enquadra nas normas do Ministério da Saúde. “Ela determina que apenas o município com população acima de 200 mil habitantes é exigido que tenha um Centro de Zoonoses”. Ainda de acordo com a Secretaria, está em andamento um projeto para controlar a população de animais de rua. A prefeitura, contudo, não explicou como ou quando esse projeto vai começar.

O problema de Guriri, por exemplo, é ainda mais complexo pelo fato dos animais colocarem em risco os motoristas. Eles não circulam apenas pelas ruas internas do balneário como também são vistos com frequência às margens da Rodovia Othovarino Duarte Santos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here