Crítica social potente vale 14º título da Beija-Flor no Carnaval do Rio

A Beija-Flor é a grande campeã do carnaval do Rio de Janeiro em 2018. A apuração aconteceu na tarde desta quarta-feira (14) na Praça da Apoteose na capital fluminense. É o 14º título da escola no carnaval carioca. O título veio com o enredo Monstro é Aquele que Não Sabe Amar . Império Serrano e Grande Rio perderam pontos por descumprir regras da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e foram rebaixadas. A Império Serrano foi penalizada com 0,2 ponto por ter terminado o desfile antes do tempo. Já a Grande Rio foi penalizada com 0,5 ponto por ter estourado o tempo. 

Desfile da Beija-Flor de Nilópolis
Fernando Grilli | Riotur

Desfile da Beija-Flor de Nilópolis

Leia também: Carnaval do Rio: Mangueira se destaca em noite marcada por protestos

A Beija-Flor foi a última a desfilar na segunda-feira (12) e fez com que toda a Sapucaí cantasse aà capela seu samba-enredo. A escola encenou corrupção e violência na avenida e provocou grande comoção no público presente e também naquele que se manifestava por meio das redes sociais. 

Leia também: Beija-Flor reforça tom político do carnaval 2018, que tem Mangueira favorita

A contundente crítica da escola foi inspirada pelos 200 anos do romance “Frankenstein”, de Mary Shelley, para fazer um paralelo com as mazelas brasileiras. O carnaval da escola foi assinado pelo carnavalesco Cid Carvalho. A violência nas ruas do Rio de Janeiro, a corrupção na política e a intolerÂncia religiosa foram alvos dessa grande catarse popular que a escola de Nilópolis levou à Sapucaí.

A Redenção da Tuiuti

Paraíso do Tuiuti
Paulo Portilho | Riotur

Paraíso do Tuiuti

A Paraíso da Tuiuti , que em 2017 viveu momentos dramáticos, fez um desfile intenso e que agradou muito o público pela franca e aberta crítica política que ostentou. Com o Samba-Enredo Meu Deus, Meu Deus. Está Extinta a Escravidão?, a escola conquistou não só a simpatia das redes sociais, como o 2º lugar no Carnaval carioca. É a melhor posição da história da escola de São Cristóvão. 

Leia também: Com homenagem ao Maranhão,Tatuapé é bicampeã do carnaval de São Paulo

Disputa intensa pela liderança

Beija-Flor
Fernando Grilli | Riotur

Beija-Flor

Diferentemente da apuração de São Paulo, quando os envelopes do terceiro quesito foram abertos apenas duas escolas polarizavam na liderança com a pontuação máxima possível: Mangueira e Portela. A escola de Madureira assumiu a liderança isolada no quesito Bateria, enquanto que a Mangueira despencou para a sexta posição. Outro quesito bastante duro para as favoritas e que agitou a disputa pelas primeiras posições foi Comissão de Frente. Apenas Beija-Flor e Mocidade conseguiram quatro notas 10 e assumiram a liderança e vice-liderança respectivamente. 

Daí em diante, todo quesito foi uma briga de foice. No quesito Alegorias e Adereços, sexto a ser divulgado, a Mocidade assumiu a ponta ao lado da Beija-Flor e da Tuiuti. Depois de anunciado o quesito Harmonia, nova configuração no ranking. A Mocidade assumiu isoladamente a ponta, seguida por Beija-Flor, Salgueiro, Portela, Paraíso do Tuiuti e Mangueira.

O penúltimo quesito, Fantasias, colocou a Acadêmicos do Salgueiro na liderança com a Beija-Flor, mas a escola do Andaraí na frente pelos critérios de desempate. Já que ela ganhou quatro notas dez enquanto que a agremiação de Nilópolis descartou um 9,8 e recebeu um 9,9. 

Foi apenas o último quesito, Samba-Enredo, que consagrou a Beija-Flor, com quatro notas 10, campeã do carnaval carioca de 2018.

Além da Beija-Flor, Paraíso do Tuiuti, Salgueiro, Portela e Mangueira voltam a desfilar no fim de semana no desfile das campeãs. A Vila Isabel, que em 2018 teve o carnavala ssiando pelo concorrido Paulo Barros terminou em 9º lugar.  

Comentários Facebook