Conheça dez expoentes da fotografia erótica

Descrever o corpo humano pelas lentes não é um trabalho fácil. Muitas vezes o trabalho de quem faz fotografia erótica
precisa cruzar por tabus relacionados à sexualidade na sociedade e inclusive ser censurado, como aconteceu com Nan Goldin. Por outro lado, lidar com a nudez
pode transformar o corpo em poesia nas artes visuais, como revela a russa Arina Sergei.

Leia também em Sexografia: Série de reportagens do iG discute nossa relação cultural com o sexo


Gary Breckheimer é um dos expoentes da fotografia erótica contemporânea mesclando corpo com cenários urbanos

Reprodução

Gary Breckheimer é um dos expoentes da fotografia erótica contemporânea mesclando corpo com cenários urbanos


Entre polêmicas e beleza, confira dez nomes da fotografia
erótica na história:

Leia também em Sexografia: Sexo e cinema: como a sétima arte evolui o tema ao longo dos anos

Bunny Yeager


A fotógrafa foi percussora da arte pin up e popularizou o uso do biquíni nos EUA

Reprodução

A fotógrafa foi percussora da arte pin up e popularizou o uso do biquíni nos EUA

A estadunidense Linnea Eleanor “Bunny” Yeager é considerada a mãe da fotografia erótica no seu país. A artista nasceu em 1929 e morreu em 2014, aos 85 anos de idade. Seu trabalho foi publicado em revistas como Cosmopolitan, Women?s Wear Daily
e Redbook
. Ela foi a precursora das fotografias pin up entre as décadas de 1950 e 1960 e chegou a trabalhar extensivamente com a Playboy
, descobrindo diversas modelos durante seu trabalho. Bunny foi uma das fotógrafas mais influentes da época e seu livro “Photographing the Female Figure” chegou a vender 300 mil cópias. Além disso, ela também trabalhou como modelo e atribui-se à ela a popularização do biquíni nos Estados Unidos.

Helmut Newton


O trabalho de Helmut Newton foi considerado polêmico por diversas vezes

Reprodução

O trabalho de Helmut Newton foi considerado polêmico por diversas vezes


O fotógrafo nasceu em 1920 em Berlim e morreu aos 83 anos na Califórnia. Seu trabalho começou a ganhar notoriedade a partir do final dos anos 1970. Ele trabalhou como fotógrafo de moda em grandes revistas, como a Vogue
britânica e, mais tarde, a edição australiana do veículo. Além disso, ele foi o responsável por fotografar inúmeras imagens para a Playboy
, como da atriz e modelo alemã Nastassja Kinski e da protagonista do filme de Alice de 1976, Kristine DeBell. O seu trabalho foi considerado polêmico diversas vezes por conta de ter um olhar das mulheres de forma sexualizada. Entretanto, Newton influenciou a fotografia de moda dos anos 1960 sendo até hoje uma referência do cenário.

Robert Mapplethorpe


O fotógrafo teve como foco as relações homossexuais das décadas de 1970 e 1980

Reprodução

O fotógrafo teve como foco as relações homossexuais das décadas de 1970 e 1980


O nova-iorquino nasceu em 1946 e ficou conhecido por registrar as relações homossexuais estadunidenses da década de 1970 e 1980. Mapplethorpe também foi um grande amigo e amante da cantora Patti Smith e acabou sendo o responsável por capturar a capa do seu disco “Horses” com uma imagem especialmente andrógena da cantora. Diante de todo o seu trabalho com as lentes, as fotografias eróticas foram as que mais impactantes de todo o seu trabalho. O artista buscava captar imagens de nudez, em especial àquelas que faziam referência ao universo do sadomasoquismo. Aos 42 anos, em 1989, Mapplethorpe chegou a morrer por conta do vírus da AIDS, mas deixando o seu legado até os dias de hoje. Sua vida foi registrada no documentário “Mapplethorpe: Look At The Pictures” no final de 2016.

Marrie Bot


Marrie Bot quebra tabus com as suas fotografias

Reprodução

Marrie Bot quebra tabus com as suas fotografias


A holandesa Marrie Bot começou a carreira em 1963 como uma design gráfica, mas em 1976 dedicou seu talento à fotografia. Em seu trabalho, ela focou em temas sociais e políticos que geralmente são considerados como um tabu para a sociedade, como a sexualidade de pessoas idosas, rompendo com a ideia de que o erotismo apenas existe com os jovens. A artista fotografou diversos casais entre 50 e 85 anos para o seu projeto fotográfico. Hoje, a artista tem 70 anos.

Leia também: Ensaio fotográfico opõe facetas pública e privada de celebridades

Ariana Sergei


A russa mistura o surrealismo em as suas obras fotográficas

Reprodução

A russa mistura o surrealismo em as suas obras fotográficas


Misturando surrealismo nas suas fotografias de nudez, a russa de 47 anos, Ariana Sergei tornou-se um dos expoentes contemporâneos da fotografia. Fissurada pelo nu, em especial o feminino, a artista revela o corpo das modelos de diversas maneiras, trabalhando com sombras, objetos e outros elementos visuais que revelam a peculiaridade de sua criatividade, tudo sob as lentes de uma Canon.

Reka Nyari


A finlandesa já teve livro publicado sobre o tema traduzido em seis idiomas

Reprodução

A finlandesa já teve livro publicado sobre o tema traduzido em seis idiomas



Radicada em Nova York, a finlandesa Reka Nyari mistura a fotografia com a sua paixão pelo cinema. Nyari adentra no universo da sexualidade feminina e normas sociais sob a perspectiva de uma mulher. Ela já recebeu prêmios pela seu trabalho como do International Photography Awards (IPA). Sua monografia “Femme Fatale: Fotografia Erótica” foi publicada em seis idiomas e vendida pelo mundo todo. Além disso, suas fotografias já foram publicadas em revistas de grandes nomes, como Vanity Fair
e Cosmopolitan
coreana.

Nan Goldin


A arte da artista é crua e chegou a ser censurada no Brasil

Reprodução

A arte da artista é crua e chegou a ser censurada no Brasil


A artista estadunidense já foi censurada mais de uma vez no Brasil. O seu trabalho revela o auge da liberdade sexual vivida no final dos anos 1960 e é focado no universo LGBT de Boston e no cenário underground, que ela revela de maneira crua. A fotógrafa é autora da série “Balada da Dependência Sexual” que revela uma visão íntima dos relacionamentos entre seus amigos, conhecidos, familiares e até mesmo de si mesma.

Rita Lino


A fotógrafa portuguesa é conhecida por seus autoretratos

Reprodução

A fotógrafa portuguesa é conhecida por seus autoretratos


A artista portuguesa atualmente mora em Berlim e tornou-se um exponente da fotografia sobre a intimidade. Rita não permanece por muito tempo em um mesmo lugar e isso reflete em suas fotografias. Grande parte de suas imagens são autorretratos em que ela aparece nua ou quase nua, revelando sua própria sensualidade.

Gary Breckheimer


O fotógrafo escolheu os cenários urbanos para retratar o corpo nu

Reprodução

O fotógrafo escolheu os cenários urbanos para retratar o corpo nu


O artista Gary Breckheimer trabalhou por décadas no mercado editorial até adentrar para um trabalho mais autoral e voltado para as artes visuais. Em seu trabalho, o fotógrafo mescla imagens do cenário urbano com as formas do corpo feminino. Breckheimer já publicou em muitas revistas internacionais como a Playboy
e a MAX
Mag
. Suas fotografias trabalho as cores preto e branco e foi reconhecido por diversos prêmios como pela International Photography Award (API) por Belas Artes Nuas.

Leia também: Maria Flor posta clique sensual em homenagem a fotógrafo

Alexander Kamakaev 


O artista mescla natureza com o corpo nu das mulheres

Reprodução

O artista mescla natureza com o corpo nu das mulheres

Ao contrário de Breckheimer, Kamakaev tem como cenário a natureza. O fotógrafo trabalha a nudez das mulheres combinadas com cenários paradisíacos ao redor do mundo. O erotismo de suas imagens se dá apenas pela presença do corpo nu com a natureza abandonada. De forma sutil, o artista compõe a beleza natural da nudez com as atribuídas à Terra. Kamakaev é membro da União de Artistas de Fotografia da Rússia desde 2003 e já teve 11 exibições pessoais e em cerca de 41 países, conquistando prêmios internacionais desde o início deste século.

Fonte: IG GENTE

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA